Você sabe o que é um marketplace? Ou até sabe, mas não faz ideia de como é o mundo do marketplace no Brasil? Não se preocupe!

No post de hoje vamos tirar todas as suas dúvidas a respeito desse modelo de negócio, além de falar um pouco dos tipos de marketplace existentes no mercado.

Por isso, não deixe de conferir esse post até o final!

Marketplace: O que é?

Um marketplace no Brasil nada mais é do que uma espécie de shopping virtual. É um ambiente online com diferentes vendedores e o cliente escolhe de quem quer comprar.

Esse modelo de negócio online possui dois tipos de acesso, sendo um para os comerciantes e outro para os clientes. Geralmente, um marketplace trabalha com um mesmo tipo de produto ou serviço.

Quais são os tipos de marketplace?

Caso você tenha um negócio e queira entrar para o mundo do marketplace no Brasil, é preciso, antes de tudo, avaliar qual tipo é o mais adequado para suas vendas. Isso sem esquecer de considerar as vantagens, desvantagens, investimento inicial e o público.

Cada modelo de marketplace tem sua singularidade. E, basicamente, existem dois grupos de marketplace: os de serviço e os de produto.

Marketplace de produtos

Os marketplaces de produtos conectam lojas ou pessoas que vendem produtos com clientes que queiram compra-los.

Marketplace de serviço

Os marketplaces de serviços, por sua vez, conectam profissionais ou empresas prestadoras de serviços com cliente que procuram uma determinada atividade.

Marketplaces de serviços por transição

Um marketplace no Brasil é o de serviços por transação é o mais usado no dia a dia. É o exemplo dos aplicativos Uber e iFood, que conectam motoristas e entregadores, respectivamente, com passageiros e clientes.

Os aplicativos agem como agente intermediário entre as duas partes, cobrando uma comissão sobre cada corrida e venda.

No de serviços por orçamento/negociação, o prestador cadastra seu perfil e fica à disposição para receber contatos de clientes e assim iniciar o trabalho. É o exemplo do site Workana, que é uma plataforma onde os clientes postam o que precisam e os freelancers lançam propostas oferecendo seus serviços.

Marketplace de serviços por aluguel

O marketplace de serviços por aluguel faz a mediação entre o cliente que procura alugar algum bem, seja ele um apartamento ou uma máquina, e a pessoa que oferece aquele bem. Já o de produtos por transação agrega vários vendedores de um mesmo segmento e procurar atrair consumidores para o ambiente de negócios.

Marketplace de produtos por anúncio

Por último, mas não menos importante, temos o marketplace de produtos por anúncio. Os sites Mercado Livre e OLX servem de exemplo, pois apenas publicam as ofertas e atraem os clientes.

O retorno financeiro é mais demorado nesse modelo de negócio porque acaba sendo consequência de um número enorme de anúncios.

O que o futuro reserva para o marketplace no Brasil?

Presente em nosso país desde 2012, o marketplace vem ganhando cada vez mais adeptos, entre eles grandes redes varejistas.

As vendas realizadas tiveram um crescimento de 24% em 2017, e é um modelo de negócio que requer baixo investimento, possibilitando que empresas de pequeno e médio porte entrem nessa onda.

A perspectiva do marketplace no Brasil, como podemos ver, é muito boa. Um vendedor que queira montar uma loja virtual sozinho gastará bem mais do que se fizesse parte de um marketplace, que já é um ambiente online desenvolvido para vendas e pronto para receber cadastros e atrair clientes.

O avanço da tecnologia e a facilidade de acesso á internet são duas ferramentas poderosas que os aplicativos e sites de marketplace têm em mãos. Se usadas da forma certa, as vendas online alcançarão números ainda mais expressivos. Vale a pena ficar de olho nesse modelo de compra e venda, seja como cliente, seja como empresa.