Quem trabalha no segmento de e-commerce ou marketplaces já deve ter ouvido falar dos termos split e spread.

Contudo, a grande maioria das pessoas não faz ideia do que eles significam e representam no dia a dia do empreendedor.

Por isso, no post de hoje vamos explicar de forma detalhada o que cada um deles representa, até mesmo para que entenda a diferença entre os dois.

Split e Spread – o que é Split?

Para falar sobre split e spread financeiro, é importante deixar claro o que cada termo significa.

O Split, também conhecido com Split Payment, é uma ferramenta de divisão de valores utilizada em marketplaces. Ele funciona de forma automática e customizada, de modo a dividir os valores de todos os envolvidos na compra.

É dessa forma que o usuário pode comprar de vendedores diferentes, mas realizando um único pagamento. Como a ferramenta faz a divisão, não é necessário realizar várias transações.

Através dele, o marketplaces também consegue recolher o seu percentual sobre a compra. Essa ferramenta também permite que o shopping virtual escolha quem vai pagar o frete, ou se ele também será dividido entre as partes envolvidas.

Esse tipo de solução acaba trazendo vantagens tanto para o vendedor, como para o marketplaces. Isso porque, é possível atrair uma base maior de clientes, uma vez que não há toda a burocracia de ter que comprar e pagar em vários lugares.

Além disso, como a divisão é feita de forma automática, as chances de algum erro acontecer são menores. Sem falar que a jornada de compra do cliente é encurtada, o que acaba aumentando a taxa de conversão.

O que é Spread?

Split e spread – o spread também é um conceito muito comum entre quem trabalha com e-commerce. Mas mesmo assim não são todos os empreendedores que sabem o que ele significa.

O spread nada mais é do que a diferença de juros/valores de quando você compra um item e depois o vende (nesse caso o conceito é usado principalmente para indicar juros bancários). Por exemplo, um supermercado compra os produtos por um valor X dos seus fornecedores.

Contudo, quando ele vende para o cliente, o valor é Y. Isso porque, o empreendimento acrescentou todas as despesas envolvidas tais como: salários de funcionários, frete, impostos, e, claro, a margem de lucro sobre o produto.

Entender e aplicar esse conceito no dia a dia do seu negócio é muito importante. Sem conhecer o spread, fica difícil saber se as suas vendas estão realmente sendo lucrativas. E com isso você pode acabar comprometendo a saúde financeira do seu negócio online.

Ao mesmo tempo que ele não pode ser baixo demais de forma que não gere lucro significativo, ele também não pode ser alto demais, pois, provavelmente isso irá afastar clientes que podem encontrar valores melhores na concorrência.

Quem trabalha com e-commerce precisa conhecer não só o split e spread, como, também, outros conceitos usados no dia a dia desse segmento.

Gostou do post? Tem mais alguma dúvida sobre conceitos do mercado de vendas online? Então aproveite para deixa-la nos comentários.